INSTITUTO BRASILEIRO DE ENFERMAGEM

Venha fazer parte da 
Elite da Enfermagem Brasileira!

Imagem
SIGA O IBRAENF NAS REDES SOCIAIS

7 erros que dificultam a Sistematização da Assistência de Enfermagem no seu setor

Gestão e Liderança de Equipes de Enfermagem

Não é um segredo que implementação da Sistematização da Assistência de
Enfermagem (SAE) tem sido um desafio para nós enfermeiros e nossas
instituições. 

Por ser a base do gerenciamento dos cuidados do paciente, a SAE tem a difícil
tarefa superar as dificuldades organizacionais, como a política interna da
instituição, quanto lidar com as dificuldades do próprio profissional de
Enfermagem. 

Por esse motivo, selecionamos 7 erros que fazem desse desafio ainda maior e
que dificultam o processo de implementação: 

# Erro 1 - SAE como uma obrigatoriedade
Um dos principais motivos para que a SAE não se concretize como o esperado
nas instituições é o fato de ser vista como UMA OBRIGATORIEDADE do
conselho federal, e não uma ferramenta facilitadora do processo de cuidar. 

Muitas instituições e enfermeiros pensam nela de forma fragmentada e
imposta, tornando-se um peso para muitos, sendo que, na verdade, ela é a
organização do seu trabalho no dia a dia. 

O primeiro passo para que se concretize a SAE no seu setor, é a sensibilização
dos profissionais quanto a sua importância, e isso é uma mudança CULTURAL.
Precisamos mudar nossa forma de pensar e falar sobre isso, rompendo os
tabus e o peso que trás a palavra “Obrigatoriedade”.

# Erro 2 - Processo de Registros frágeis e ineficientes
Outro erro muito comum é a falta de registros ou registros incompletos realizados pelo enfermeiro. Os registros devem ser claros, objetivos e devem descrever a  condição do paciente de forma que qualquer pessoa possa ler e enxergá-lo, entendendo o que se passa, que conduta foi tomada, quais os planos de cuidados e, assim, ser capaz de dar continuidade ao tratamento. 

O enfermeiro precisa estar comprometido com os registros diários. Muito além de respaldo profissional, os registros permitem a continuidade do cuidado e a comunicação entre as equipes, inclusive a comunicação multiprofissional. 

Um exemplo clássico de descomprometimento do enfermeiro com os registros, é o “copia e cola” de evoluções e prescrições de enfermagem, sem revisão da necessidade atual do paciente, procedimentos que foram realizados, intercorrências, mudanças no quadro do paciente, evoluções que não descrevem o quadro atual do paciente.

# Erro 3 - Desinteresse dos Gestores
Os gestores ou líderes precisam ver a SAE como uma aliada no alcance de
suas metas e qualidade de assistência. Esses são a peça chave para
influenciar, incentivar e sensibilizar as equipes na implementação, permitindo
uma mudança de cultura. 

A SAE permite o gestor estruturar metas para a
qualidade assistência e identificar os pontos frágeis que precisam ser
melhorados com sua equipe.

# Erro 4 - Dimensionamento Inadequado
Claramente se não existe dimensionamento adequado, inexiste sistematização da assistência de enfermagem e comprometimento dos gestores com a qualidade assistencial. Esse é um dos fatores que faz com que a SAE se torne um peso e também realizada inadequadamente, gerando retrabalho, eventos adversos e descontentamento das equipes. 

# Erro 5 - Falta de protocolos 
Os protocolos são uma forma fácil e clara de sistematizar o cuidado do
paciente, mas precisam ser de fácil acesso para as equipes. A falta de
protocolo permite que o profissional realize as condutas ou procedimentos
como ele achar melhor, colocando em risco a assistência do paciente. 

# Erro 6- Não investir em Educação continuada
Partindo do princípio que a SAE é um processo de raciocínio clínico e reflexivo
para a tomada de decisão do enfermeiro, a educação continuada tem como
principal objetivo auxiliar o enfermeiro nesse desenvolvimento e também na
sensibilização. 

# Erro 7- SAE não condizente com a realidade do Serviço
Cada serviço de saúde tem uma realidade e suas peculiaridades, a SAE não é
um processo pronto que você tira de um lugar e coloca em outro, ela é a
organização do serviço que, se aplicada de forma fragmentada e obrigatória,
dificilmente irá garantir o sucesso na implementação, podendo levar ao
descontentamento desse profissional. 

Uma reflexão importante é definir quais as necessidades do seu serviço, o que
precisa ser melhorado e se os processos de enfermagem estão bem
instituídos.

Pensar e planejar uma Sistematização mais centrada nas peculiaridades do
seu setor e instituição, vão ajudar a construir uma assistência humanizada,
centrada no paciente e suas necessidades e, assim, conduzir seus processos
com excelência.

Gostou desse artigo? 
Deixe seu comentário abaixo!  
Venha fazer parte da Elite da Enfermagem Brasileira!
Insira seu e-mail abaixo para receber informações sobre o Curso Online Líder Coaching para Enfermeiros
Cadastre-se
Gostou? Clique Curtir e deixe um comentário!