INSTITUTO BRASILEIRO DE ENFERMAGEM

Venha fazer parte da 
Elite da Enfermagem Brasileira!

Imagem
SIGA O IBRAENF NAS REDES SOCIAIS

10 passos para iniciar a Sistematização da Assistência de Enfermagem no seu setor

Gestão e Liderança de Equipes de Enfermagem

Sendo a Sistematização da assistência de Enfermagem (SAE) uma obrigatoriedade do COFEN em todos os serviços que prestem cuidados de saúde, inicia-se o desafio da implementação nos serviços e os questionamentos: Como iniciar e por onde? 
 
Nós como enfermeiros, não podemos ver essa responsabilidade, como sendo apenas das instituições, devemos ter como nossa responsabilidade em construir junto à instituição onde trabalhamos. 

Nesse artigo vamos falar de 10 passos para que você comece a planejar a implementação da SAE no seu setor de atuação.

Passo 1 - Conhecer o perfil do paciente
Inicie identificando que perfil tem o paciente que você mais atende suas patologias e necessidades. Quando temos um panorama claro a respeito dos pacientes que atendemos e assistimos, fica mais fácil organizar estratégias para o atendimento. 
 
Passo 2 - Identificar sinais e sintomas mais comuns
Separe os principais sinais e sintomas comuns neste perfil de paciente, por exemplo: Glicemia descompensada, fadiga, hipertensão, dor... Quais as principais queixas que o seu perfil de paciente apresenta. Tenha uma visão completa do paciente, visão holística que compreenda o paciente por inteiro. 
 
Passo 3 – Defina 5 possíveis diagnósticos de enfermagem mais recorrentes.
Diagnósticos de enfermagem e estabelecer cuidados de enfermagem são atribuições exclusivas do enfermeiro. O enfermeiro para ter resultado do seu trabalho é indispensável assumir este processo para si. 
 
Defina em cima dos sinais e sintomas mais comuns, pelo menos cinco possíveis diagnósticos que englobam o perfil dos pacientes no seu setor. Lembre-se de usar uma taxonomia reconhecida como, por exemplo, NANDA que tem sido uma das mais utilizadas. Clique AQUI para baixar o NANDA.
 
Passo 4 - Determinar os resultados esperados.
O enfermeiro precisa ter claro quais os objetivos deve alcançar através do cuidado ao seu paciente. Não podemos ser meros reprodutores de prescrição médica e rotinas institucionais. Nossa meta deve ser sempre a qualidade de assistência ao paciente. 
 
Após separar os principais sinais e sintomas e definição dos possíveis diagnósticos, determine os objetivos, os resultados esperados no estado atual do seu paciente que precisa ser alcançado através do cuidado de enfermagem.
 
Passo 5 - Priorização de cuidados
Se o enfermeiro não sabe quais as prioridades de cuidados que deve ter com o seu paciente, nunca verá os resultados do cuidado, as chances de eventos adversos são muito maiores quando não planejado o cuidado ao paciente. Não basta termos o conhecimento de rotinas e sermos ótimos tecnicamente se não planejarmos os cuidados que são prioritários. A avaliação do paciente beira leito nos subsidia para que sejam fidedignos os cuidados, só é possível saber o que priorizar quando avaliamos o paciente na íntegra. Separe quais os cuidados necessários para alcançar a meta estabelecida.

Passo 6  - Programar os cuidados
Nosso enfoque deve estar no problema atual do paciente e planejar os cuidados evitando possíveis intercorrências. Determine quais os cuidados de enfermagem devem ser realizados, esses cuidados devem ser claros e objetivos com prazos, definindo o que deve ser avaliado , condutas e também direcionamento a equipe de técnicos que fazem parte dos cuidados. 
 
Passo 7 - Implementar a Prescrição de Enfermagem (intervenções)
A prescrição de enfermagem direciona os cuidados de forma programada além de nos respaldar quanto a assistência prestada ao paciente. Realize a prescrição de enfermagem com os cuidados programados e prioritários, mostre a sua equipe de enfermagem que a prescrição de enfermagem é o direcionamento dos cuidados durante o plantão. A equipe de enfermagem deve ter a prescrição de enfermagem como uma ferramenta de trabalho, assim como a prescrição médica. 
 
Passo 8 - Compartilhamento das informações na Passagem de Plantão
A comunicação efetiva é extremamente importante para que o cuidado da enfermagem seja realizado de forma contínua. Enfermagem não se faz sozinha e o cuidado ao paciente não se encerra quando o nosso turno de trabalho termina, a assistência de enfermagem precisa ser interligada entre os turnos.

 A passagem de plantão tem exatamente esse objetivo, compartilhar as necessidades do paciente e dar continuidade do cuidado. Sinalizar durante a passagem de plantão os principais cuidados e intervenções de forma clara e objetiva, otimiza o tempo nos turnos de trabalho durante a assistência ao paciente e diminui os riscos de eventos adversos. 
 
Passo 9 - Avaliação dos Resultados
Tenha como uma de suas prioridades identificar se foi alcançado os objetivos através do planejamento dos cuidados realizados através da passagem de plantão e avaliação do paciente a beira leito. 

Passo 10 - Ajustar a rota.
Não se assuste se preciso reajustar a rota e o planejamento de cuidados, faz parte da rotina de enfermagem lidar com diferentes cenários e isso não exclui o cuidado do paciente. Revisar diariamente os diagnósticos de enfermagem e o planejamento de cuidados faz com que a assistência de enfermagem seja efetiva e segura e ainda lhe permitirá ver os resultados do seu trabalho como enfermeiro estratégico que pensa na qualidade de assistência ao paciente. 

Tenha como rotina, avaliar o paciente, atentar para os sinais e sintomas atuais e revisar as necessidades diárias. Caso seja necessário, reajuste sua prescrição e não se esqueça de revisar com sua equipe e compartilhar com seus colegas na passagem de plantão, assim trabalhamos continuidade do cuidado, empoderamento e sistematização da assistência de enfermagem.


Gostou desse artigo? 
Deixe seu comentário abaixo!  
Venha fazer parte da Elite da Enfermagem Brasileira!
Insira seu e-mail abaixo para receber informações sobre o Curso Online Líder Coaching para Enfermeiros
Cadastre-se
Gostou? Clique Curtir e deixe um comentário!